Plantas Daninhas

0
publicidade:

Um dos grandes pesadelos de qualquer pessoa que tenha um jardim bem cuidado ou ainda uma plantação é o aparecimento das chamadas ervas ou plantas daninhas.Geralmente refere-se como uma planta daninha qualquer tipo de vegetal que nasça e um determinado local de maneira espontânea e em um momento indesejado.

Algumas outras características acabam estando presentes neste tipo de planta. Geralmente elas crescem de uma forma muito rápida. Para isso, elas acabam se utilizando de uma capacidade que outras plantas não possuem, que é o de absorção com mais eficiência dos nutrientes do solo, incluindo a água.

Além disso estas plantas contam com uma excelente adaptação climática, ou seja, elas conseguem prosperar em diversos tipos de climas diferentes. Assim, elas se tornam ainda mais complicadas de serem controladas.O s eu processo de germinação é curto, o que também ajuda para que ela consiga se multiplicar de fora ainda mais rápida.

publicidade:

plantas_daninha

publicidade:

Origem das plantas daninhas

As plantas daninhas acabam surgindo de diversas maneiras dentro deu um determinado ambiente ou jardim. Na maioria das vezes elas acabam sendo sementes que viajam com o vento ou ainda pegando carona com outros animais.

Controle

Grande parte das pessoas controlam as ervas daninhas com produtos químicos, mas isso deve ser feito apenas em plantações que fiquem a uma determinada distância segura de casa, caso contrário poderá trazer mais problemas do que as próprias daninhas.
O mais recomendado é que a remoção e o controle seja feito manualmente, com a pessoa arrancando as plantas pela raiz.

Depois disso, os especialistas recomendam que os jardineiros cubram o solo com uma boa camada de palha ou de folhas secas, porque isso vai dificultar o processo de germinação das plantas. E evite sempre a utilização de terras ou adubos de origens desconhecidas, porque eles poderão trazer as sementes das daninhas.

Vídeo sobre as Plantas Daninhas

publicidade:

COMPARTILHAR

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA