Objeto Direto e Objeto Indireto

0
anúncios:

Os objetos direto e indireto fazem parte dos complementos verbais de uma oração, ou frase, completando o sentido de verbos transitivos diretos e indiretos que, quando se apresentam sozinhos, não trazem o significado completo do pensamento expressado.

Objeto direto

Um objeto direto é colocado para completar o sentido de um verbo transitivo direto, sem a presença de uma preposição. O objeto direto indica o paciente da ação verbal, o elemento que sofre a ação do sujeito. Os verbos transitivos diretos são aqueles que precisam do complemento para completar o sentido da frase, atendendo as respostas de perguntas como “o quê?” e “quem?”, sem precisar de qualquer preposição para estabelecer a regência verbal.

Os objetos diretos são, principalmente, os substantivos, os pronomes substantivos, os pronomes oblíquos átonos e as orações subordinadas substantivas objetivas diretas.

anúncios:


Veja alguns exemplos:

anúncios:
  • Objeto direto representado por um substantivo: “Pedro comeu o bolo”.
  • Objeto direto representado por um pronome substantivo: “Ele fez tudo para o jantar”.
  • Objeto direto representado por um pronome oblíquo átono (o, a, os, as, me, te, se, nos, vos): “O homem confessou-se culpado”.
  • Objeto direto representado por uma oração subordinada substantiva objetiva direta: “Quero que você encontre seu caminho”.

objetos 2

Objeto direto preposicionado

Um objeto direto preposicionado é aquele que vem precedido pela preposição a em algumas situações, como por exemplo:

anúncios:
  • Quando se refere a um substantivo próprio;
  • Quando se refere a um pronome oblíquo tônico;
  • Quando se refere a um pronome indefinido;
  • Quando se refere ao pronome relativo quem;
  • Quando se refere aos numerais ambos e ambas;
  • Quando se encontra antecipado na frase, dentro de uma construção comum em provérbios;
  • Quando se pretende evitar ambiguidade na leitura da frase.

Exemplos de objeto direto preposicionado:

  • O chefe criticou a mim e a todos.
  • Eu tenho uma amiga a quem amo muito.

Objeto direto pleonástico

Um objeto direto pleonástico é aquele que ocorre quando há repetição e intensificação do objeto direto, para torna-lo mais expressivo, quando se encontra no início da oração sendo repetido depois do verbo através de um pronome oblíquo átono.

  • Esse livro, li-o diversas vezes.

Algumas vezes os verbos intransitivos podem aparecer com objetos diretos, tendo a função de verbos transitivos diretos, como por exemplo:

  • Pelo jeito vai chover uma chuva forte.

Objeto indireto

O objeto indireto é o complemento do sentido de um verbo transitivo indireto, tendo a presença obrigatória de uma preposição, indicando o paciente da ação verbal, ou seja, o elemento da ação do sujeito.

Os verbos transitivos indiretos são aqueles que precisam de um complemento para completar seu sentido, sempre respondendo a perguntas como “de quê?”, “para quê?”, “de quem?”, “para quem?” e “em quem?”, entre outras, precisando da preposição para estabelecer a regência verbal.

Os objetos indiretos são geralmente os substantivos, os pronomes oblíquos “lhe” e “lhes” e orações subordinadas substantivas objetivas indiretas. Veja alguns exemplos:

  • Objeto indireto representado por um substantivo: “Eu duvidei daquilo que tinha visto”;
  • Objeto indireto representado por um pronome oblíquo: “Remeti-lhe tudo o que me pediu”;
  • Objeto indireto representado por uma oração subordinada substantiva objetiva indireta: “O diretor exige que todos os colaboradores estejam presentes”.

Objeto indireto não preposicionado

Em algumas situações, os objetos indiretos podem aparecer em preposição, representados por um pronome oblíquo (me, te, lhe, nos, vos, lhes), ou pelo pronome reflexivo “se”:

  • O réu declarou-se culpado.

Objeto indireto pleonástico

No objeto indireto pleonástico acontece uma repetição e intensificação do objeto indireto, tornando-o mais expressivo, desde que o objeto indireto esteja no início da oração, sendo repetido depois do verbo através de um pronome oblíquo:

  • Aos meus pais, eu os amei muito

Para não ter dúvidas com relação ao objeto indireto e o adjunto adverbial, é preciso ter um cuidado especial.

Assim, se completar o sentido de um verbo, trata-se de um objeto indireto; se apresentar uma informação acessória a um verbo, sendo até mesmo dispensável, trata-se de adjunto adverbial.

Deixe um comentário!

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here